Consistente para ser relevante

Uma das coisas na qual eu acredito é que todo projeto ou ação tem que ser sequenciado e iterativo, ou seja, ele precisa ser visualizado como sequência de ações relacionadas que melhoram a cada etapa.

Estes até são princípios do Design de Serviços, mas acima de tudo, representam uma forma de  desenvolver seu planejamento de longo prazo, encaixando seus eventos e ativações na estratégia do seu negócio. 

Pare um momento e analise: se estes projetos são ações aleatórias que não vão criar uma sensação de comunidade,  estreitar o relacionamento com seu público e gerar visibilidade e reputação da sua marca, será que eles têm mesmo que acontecer?

Se você possui um público estratégico, seja ele interno ou externo, o melhor seria pensar em projetos sequenciados, analisando a resposta em cada ponto de contato, a jornada emocional do público, os momentos de verdade (etapas que são decisivas para o público) e aprender com estas respostas. Ou será que ações como de envios de brindes de aniversário ou de uma data comemorativa são suficientes?  

Acredito que gerar valor e relacionamento relevante vêm dos aprendizados com seu público, das ações planejadas e da melhoria constante dos processos envolvidos nessa estratégia.

Claro que ações pontuais podem acontecer, mas elas devem estar dentro de uma estratégia de comunicação e de negócio muito maior. Se não for por este caminho, as ações perdem sentido, ficam desconexas e não irão gerar o impacto que você precisa para o seu negócio.

 

Então, qual seria a melhor maneira de fazer isso?

 

Ter um método de trabalho irá te ajudar muito a criar projetos relevantes e definir métricas de acompanhamento. Na Amandy, encontramos no Design de Serviços a solução e entendemos que quem tem papel fundamental em todo o processo é a experiência do cliente.

 

Depois de desenhado esta primeira parte do processo, é o momento de definir quais são as melhores ferramentas para ajudar na aplicação do método. Independente do tipo de metodologia utilizada é preciso também partir para a etapa de pesquisa.

 

A coleta de informações, observações e fatos é primordial para um bom planejamento. É importante que a pesquisa seja baseada na realidade e não em suposições dos dados, pois são eles que serão usados no desenvolvimento do projeto-piloto.

 

Com os resultados deste primeiro teste, mais dados são gerados para o processo de aprendizagem e refinamento de informações para assim planejar. Por exemplo, fazer um calendário das ativações, eventos, envio de comunicação, mídia direcionada e várias outras ações criadas no relacionamento. 

 

Depois do planejamento é preciso executar as ações atenta aos aprendizados que elas podem trazer, saber o que funciona e entender os desejos do público. Se algo não se encaixar, é preciso voltar e acertar os ponteiros. Isso é o resultado das métricas estabelecidas e a grande necessidade de mensurar elas em todas as etapas do processo de como montar uma estratégia.

 

Lembre-se todo processo é iterativo e você irá repetir várias vezes até acertar. Por isso é crucial ter métricas bem definidas para conseguir mensurar o resultado de todo esse caminho. 

 

Por fim, não deixe de experimentar e aprender. É impossível inovar sem experimentar e isso envolve riscos necessários. 

 

Um conceito utilizado na Amazon e que pego para mim: “experimente, mensure, aprenda”

EXPERIÊNCIAS
QUE TRANSFORMAM

Quer promover uma transformação positiva
junto com a gente?